Plantas do cerrado

#2 - Cagaita
Eugenia dysenterica DC.
Família Myrtaceae, mesma da jabuticaba, goiada, araçás, jambo e eucaliptos, por exemplo.


O fruto da cagaita é delicioso e muito suculento. Quando morava num sítio em São João d’Aliança – Chapada dos Veadeiros, fiz um doce de cagaita verde que ficou realmente uma beleza! Comi até o limite da satisfação! Depois deste episódio, aprendi que comer cagaita é bom, mas com moderação! Seus efeitos terapêuticos são “um estouro”!

É uma espécie típica do Bioma Cerrado, ocorrendo em cerrados ralos até cerradões.

Floresce de agosto a setembro.
Frutifica de setembro a outubro.

Árvore hermafrodita de até 10 m de altura, copa compacta e avermelhada quando com predominância de folhas jovens. Tronco com casca de cor castanho acinzentada, com fissuras longitudinais e cristas sinuosas e descontínuas, veios castanhos.

Folhas simples, opostas, glabras (sem pêlos), de margem lisa . Flores isoladas ou reunidas em peuenos fascículos, partindo nas axilas foliares.


Fruto é uma baga de 2-3 cm de diâmetro, amarelo quando maduro, com 1-4 sementes, normalmente com remanescente do cálice floral seco.

Os frutos são bastante consumidos, tanto ao natural como na forma de doces, geléias, sorvetes e sucos, podendo ter sua polpa congelada por até um ano. Atenção quanto à quantidade de frutos ingeridos, principalmente quando quentes ao sol, grande quantidade gera efeito laxante, responsável tanto pelo nome popular como pelo científico.

Cagaita - Eugenia dysenterica
Cagaiteira com frutos verdes no pé. Brasília, Núcleo Rural Boa Esperança II, 26 de setembro de 2006.

A árvore é também medicinal, melífera, ornamental e madeireira. A casca serve para curtumes, sendo uma das corticeiras do Cerrado, com até mais de 2 cm de espessura.

Além de efeito laxante dos frutos, seu uso medicinal está associado à ação anti-diarréica de suas folhas. 

madeira da Cagaita
Detalhes da casca espessa da cagaita e seus frutos caídos no chão.
fruta da Cagaita
Cagaita A: fruto de vez; B: fruto verde; C: fruto maduro no chão. Cagaiteira com frutos verdes no pé.
Brasília, Núcleo Rural Boa Esperança II, 23 de setembro de 2006.

Cagaita: composição
Fonte: Almeida et. al. 1997 em Silva et al. 2001

O aproveitamento alimentar da espécie é popularmente consagrado na região e seu valor econômico/comercial já não é mais potencial. Sorveterias de Goiânia e Brasília fabricam sorvetes com os frutos da espécie, catados no chão. Os frutos utilizados por uma das sorveterias de Brasília são catados de árvores que compõe a arborização da própria cidade. Bom exemplo de benefícios com a utilização de espécies fruteiras no paisagismo público. Tais benefícios são especialmente aumentados quando a espécie em questão é nativa, uma vez que são atraídos polinizadores e dispersores, promovendo uma integração efetiva e positiva da cidade com o cerrado do entorno.

Referências e sugestões bibliográficas sobre a cagaita::

  • Almeida, S.P. 1998. Cerrado: Aproveitamento Alimentar. Planaltina: EMBRAPA-CPAC. 188p.
  • ALMEIDA, S.P.; PROENÇA, C.E.B.; SANO, S.M.; RIBEIRO, J.F. , 1998. Cerrado: espécies vegetais úteis. Planaltina: EMPRAPA-CEPAC.
  • Silva, D.B. da; et al., 2001. Frutas do Cerrado. Brasília: Emprapa Informação Tecnológica.
  • Silva Júnior, M.C. et al. 2005. 100 Árvores do Cerrado: guia de campo. Brasília, Ed. Rede de Sementes do Cerrado, 278p.
Fernando Tatagiba, Msc. - tatagiba@biologo.com.br
Biólogo/botânico.
imprimir
imprimir a página

Plantas do Cerrado: início | o cerrado | espécie anterior

ongs | universidades | página inicial

Todos os direitos reservados 2009 ©