plantas do cerrado

#4 - Jatobá-do-cerrado
Hymenaea stigonocarpa Mart.

Família Leguminosae, mesma do feijão, do baru, da copaíba e do pau-brasil. A família é a primeira entre as mais importantes em termos de número de espécies lenhosas (arbustos e árvores). São mais de 150 espécies agrupadas em três subfamílias. Outros nomes: jatobá, jatobá-do-campo, jatobá-da-serra, jatobá-capão, jatobá-de-casca-fina, jataí.

De como, no prazo duma hora só, careci de ir me vendo escorando rifle (...) trepado em jatobá e pequizeiro, deitado no azul duma lage grande. Guimarães Rosa em Grande Sertão: Veredas, pg. 228, em 1956.
Jatobá
A - Jatobá-do-cerrado com cerca de cinco metros de altura, núcleo Rural Boa Esperança II, Distrito Federal, 14/10/06;
B - Ritidoma (casca) do jatobá-do-cerrado;
C: Folhas alternas, bifolioladas (compostas por dois folíolos) características dos jatobás.

Arvoreta ou árvore (Foto A) de até 10 metros de altura amplamente utilizada por todas as populações tradicionais do bioma Cerrado. Ocorre em cerrados e cerradões e mesmo sem flores pode ser identificada facilmente pelas suas folhas, que são alternas ecompostas por dois folíolos. Dizem que a folha do jatobá parece um par de pulmões, o que já indicaria suas propriedades medicinais no fortalecimento das vias respiratórias superiores e aparelho cardio-vascular. As folhas e ramos mais jovens possuem pilosidade.

Os botões são recobertos por vilosidade (pêlos bem curtos com textura de veludo) cor de ferrugem (Fotos D e E). Suas flores brancas (Foto F) com até 05 cm de diâmetro são polinizadas por morcegos.

floração
D: Botão floral do jatobá-do-cerrado em desenvolvimento, 03/12/2005;
E: Botão se abrindo em flor, 21/12/2005.
Fotos da mesma árvore, localizada no Condomínio Entre Lagos, próximo ao Paranoá, DF.

detalhe
Foto F: Flor do jatobá-do-cerrado, com destaque para o aparelho feminino composto por ovário estilete e estigma, e para o aparelho masculino por 10 estames, que são formados por filete e antera. Durante a polinização os grãos de pólen são depositados no estigma. O pólen, então, projeta um finíssimo tubo, chamado tubo polínico, que leva o gameta masculino aos óvulos localizados no ovário, onde ocorre a fecundação.


Vagens de jatobá e cocos forão o alimento exclusivo de quase 3.000 pessoas durante oito tremendos e intermináveis dias. Tunay em Narrativas Militares, pg. 48, de 1878.

Após a fecundação dos gametas femininos, o ovário começa a se desenvolver para formar o fruto (Foto G) do jatobá.

aproveitamento medicinal
Fotos G: Frutos de jatobá-do-cerrado coletados no Núcleo Rural Boa Esperança I, DF, em 14 de outubro de 2006, detalhe de fruto aberto para obtenção de farinha e sementes; H: Farinha e 08 sementes obtidos a partir de um fruto de jatobá-do-cerrado.


A farinha do jatobá do campo é utilizada em receitas de biscoitos, bolos pães, doces e sorvetes. Alguns benefícios da farinha de jatobá na alimentação foram analisados em trabalho de formulação de biscoitos sem açúcar e fonte de fibras alimentares, para diabéticos ou pessoa sob restrição alimentar.

Os rendimentos das farinhas do jatobá-do-cerrado e do jatobá-da-mata foram de 12,69% e 11,07%, em pesquisa realizada na região de Goiânia.

A porcentagem é o peso da farinha em relação ao peso de semente e casca. O rendimento levemente superior do jatobá do cerrado, possivelmente devido à menor espessura da casca de seu fruto.

 
Receita de rosquinhas de Jatobá com coco e barú.
Ingredientes
Modo de Fazer
  • 2 copos de 200 mL de farinha de trigo;
  • 2 copos de 200 mL de farinha de jatobá,
  • 1/2 copo de 200 mL de açúcar mascavo;
  • 4 ovos;
  • 10 colheres de sopa de coco ralado;
  • 5 colheres de castanhas de baru cruas e quebradas;
  • 1 colher de sopa de fermanto em pó;
    o adicionar leite até o ponto de enrolar.
  • Misturar todos os ingredientes e amassar;
  • Formar tiras, cortá-las e enrolar rosquinhas no tamanho desejado;
  • Colocar as rosquinhas em assadeira untada;
  • Levar ao forno até ficarem levemente douradas.

 

 

Adaptada de Silva et al. 2001.

composição
Fonte: Almeida et. al. 1997 em Silva et al. 2001

Os usos medicinais registrados pela bibliografia para o jatobá-do-cerrado são no tratamento de problemas respiratórios, como expectorante, vermífugo, para dores no estômago, no peito e nas costas, pode estimular o apetite, no combate de problemas nos rins e vias urinárias, fígado, infecção intestinal e como cicatrizante. As folhas e a casca do jatobá-da-mata (Hymenaea silbocarpa) possuem um grupo de substâncias (terpenos e fenólicos) com propriedades antifúngicas, antibacterianas, moluscidas comprovadas em vários estudos, o que valida as histórias de ambas espécies no uso contra vários males. O jatobá-da-mata é uma espécie próxima do jatobá-do-cerrado e ocorre na Mata Atlântica, Amazônia e algumas formações florestais no Cerrado.

A seiva do jatobá pode ser encontrada em lojas de produtos naturais e barracas de raizeiros em sua região de ocorrência. É importante buscarmos saber a procedência da seiva e as condições de extração. O IBAMA é o órgão responsável por licenciar a extração e comercialização de produtos da flora nativa, como a seiva e outros produtos dos jatobás da mata e do cerrado. Todos nós produtores, coletores, consumidores e poder público devemos contribuir para a cultura do uso sustentável de valiosos recursos da flora do Cerrado, tal como o jatobá-do-cerrado.

Utilização medicinal do Jatobá-do-cerrado.
Indicações
Parte usada
Preparo e dosagem
a. bronquites, tosses, coqueluche a. casca e ramos mais velhos a. decocto:: 1 xícara café da planta picada para 1 litro de água. Tomar de 3-4 xícaras de café ao dia. Xarope: macerar 1 xícara de café da planta em 01 xícara de água fervente. Deixar repousar por 6 horas. Coar e diluir em 1 xícara de mel. Beber de 3-4 colheres de sopa ao dia.
b. adstringente, nas afecções da bexiga epróstata b. casca e ramos mais velhos b. decocto ou infuso: 1 xícara de chá ddaplanta para 1 litro de água. Deixar esfriar. Adoçar com mel. Beber de 3-4 xícaras de chá ao dia.
c. vermífugo c. fruto c. infuso:1 xícara de café da polpa do fruto para ½ litro de água. Deixar repousar por 6 horas. Tomar de 5-6 colheres de sopa ao dia, preferencialmente em jejum ou antes das refeições.
Fonte: Almeida et al. 1997 em Silva et al. 2001

Nos cerrados do Distrito Federal o jatobá-do-cerrado ocorre em densidades que variam de cerca 18 a 43 indivíduos por hectare. Na região de Cuiabá-MT foram registrados 50 indivíduos/ha.

A produção de mudas do jatobá-do-cerrado é fácil por meio de sementes, que podem ser colocadas para germinar logo que colhidas em saquinhos individuais ou em canteiros. A taxa de germinação das sementes de frutos recém-colhidos é de até 90%. Sementes submetidas à escarificação mecânica (lixadas em uma calçada de cimento, por exemplo) podem germinar em menos de 10 dias (normalmente de 15-30 dias). O desenvolvimento das mudas é rápido, estando pronta para transplante (quando for o caso) em menos de 4 meses. Em Brasília a EMBRAPA-CPAC vende mudas de jatobá-do-cerrado e outras espécies do bioma por três reais cada (www.cpac.embrapa.br/servicos/mudas.doc). Mas antes de comprar, tende você mesmo plantar e produzir suas mudas, é fácil e um ótimo aprendizado.

Referências e sugestões bibliográficas sobre o jatobá-do-cerrado:

Almeida, S.P. 1998. Cerrado: Aproveitamento Alimentar. Planaltina: EMBRAPA-CPAC. 188p.

ALMEIDA, S.P.; PROENÇA, C.E.B.; SANO, S.M.; RIBEIRO, J.F. , 1998. Cerrado: espécies vegetais úteis. Planaltina: EMPRAPA-CEPAC.

ATTUCH, I.M. 2006. Conhecimentos Tradicionais do Cerrado: sobre a memória de Dona Flor, raizeira e parteira. Dissertação de Mestrado em Antropologia Social pela Universidade de Brasília, UnB. www.unb.br/ics/dan/Dissertacao205.pdf

Cunha, Antônio Geraldo da, 1924. Dicionário Histórico das palavras portuguesas de origem tupi / Antônio Geraldo da Cunha; prefácio-estudo de Antônio Houaiss. 4 ed. São Paulo: Companhia Melhoramentos; Brasíla: Universidade de Brasília, 1998.

Lorenzi, H. 2000. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil, vol. 1. 3. ed. Nova Odessa, SP.

MOBOT, Misouri Botanical Garden. http://mobot.mobot.org/cgi-bin/search_vast?onda=N13020524

Ramos, A.C.S. et al. Fitogeografia de Hymenaea stigonocarpa, o jatobá-do-cerrado. http://web2.sbg.org.br/ResumosSelecionados/14889resumoGP133.pdf

Rodrigues, V. E. G. & Carvalho, D. A. 2001. Plantas Medicinais no Domínio dos Cerrados. Lavras: UFLA. 180p.

Silva, D.B. da; et al., 2001. Frutas do Cerrado. Brasília: Emprapa Informação Tecnológica.

Silva Júnior, M.C. et al. 2005. 100 Árvores do Cerrado: guia de campo. Brasília, Ed. Rede de Sementes do Cerrado, 278p.

Silva, M. R., et al. 2001a. UTILIZAÇÃO TECNOLÓGICA DOS FRUTOS DE JATOBÁ-DO-CERRADO E DE JATOBÁ-DA-MATA NA ELABORAÇÃO DE BISCOITOS FONTES DE FIBRA ALIMENTAR E ISENTOS DE AÇÚCARES. Cienc. Tenol. Aliment., Campinas, 21 (2): 176-182. www.scielo.br/pdf/cta/v21n2/7463.pdf

Silva, M. R., et al. 2001b. Avaliação Química, Física e Sensorial de Biscoitos Enriquecidos com Farinha de Jatob-a-do-cerrado e de Jatobá-da-Mata como Fonte de Fibra Alimentar. Brasilian Journal of Food Technology, 4: 163-170. www.ital.sp.gov.br/bj/bjft/2001/p0173.pdf

Fernando Tatagiba, Msc. - tatagiba@biologo.com.br
Biólogo/botânico.
imprimir
imprimir a página

Plantas do Cerrado: início | o cerrado | espécie anterior

eventos | ongs | botânica | página inicial

Todos os direitos reservados 2009 ©